9 de setembro de 2011

Carpe Diem

Ele, bruto, ranzinza, apaixonado.
Inconsequente.
Entre todas as atitudes estúpidas que teve na vida, a maior foi tentar controlá-la.
Ela, um espírito livre, mulher de 50 sorrisos.
Sinceros.
Vivia conforme sua própria vontade.
Inconsequência consciente.
Partiu enfrentando a repressão abstrusa.
Carpe Diem escrito com sangue no chão.

2 comentários:

  1. Mulher de 50 sorrisos, que expressão mais linda! Final sangrento e perfeito! *-*

    ResponderExcluir